Cantadas.
março 21, 2014
Amor cíclico (Romance de verão)
abril 6, 2014

O voyeur e a exibicionista.

voyeur

            Histórias que chegam. Algumas eu posso escrever e publicar, outras não, mas essa eu achei muito interessante e elucidativa, pois faz um encontro perfeito de taras e fetiches, entre duas pessoas que se completam.

            Ele, mais velho, nunca se casou e ela, um pouco mais nova, também solteirona convicta, na faixa dos quarenta e muitos anos, se conheceram. No início tudo bem, normal, mas com o tempo ele começou a ter desejos e vontades ‘estranhas’ em relação a ela, pedia para que usasse saias bem curtas, blusas decotadas e cruzasse as pernas em bares e locais públicos.

            Moravam em cidades diferentes. Como a cidade dela era pequena e todos a conheciam, acabou sendo na cidade dele o palco onde as agruras se passavam. Foram a um bar e ele pediu que ela olhasse e se aproximasse de um estranho. Ela atendeu e convidou o estranho para sua mesa. Ele se apresentou ao estranho como cunhado dela, explicou o que queria e foram todos para um motel. Pegaram dois quartos, mas ficaram os três no mesmo quarto: ela e o estranho numa cama e ele na outra, sozinho, olhando tudo de perto com muita atenção.

            Relato: ‘Comecei a chupar o cara e ele foi ficando muito excitado, ele sentiu um prazer enorme e assim que o cara gozou na minha cara, ele ficou tão feliz que me deu um beijo no rosto. Depois o estranho me penetrou e ele ficava me olhando, até que veio e chupou meus seios, e voltou; ele olhava mais do que agia enquanto pedia ao estranho que me comesse, cada vez mais forte. O estranho ficou meio assustado, sem saber muito que fazer. Logo depois ele pediu que eu fosse para o outro quarto sozinha com o estranho que ele deixava; o estranho estava com medo e foi embora e então ele veio para cima de mim com muita fúria e me possuiu.      Passado uns dias e ele quis transar comigo, mas eu tinha de falar no ouvido dele que estava transando com outro, simulando cenas de sexo, eu com outro. Às vezes, de madrugada, ele me telefona e goza quando começo a fantasiar que estou dando para outro. Perguntei se ele já tinha ficado com duas mulheres ao mesmo tempo e ele me disse que já, mas nada acontecera, não é a praia dele. Ontem falei que tinha vontade de ficar sozinha com o estranho do bar e ele me deu carta branca total.

            Sinto que quando faço suas vontades, ele não nutre nenhum tipo de sentimento, não fica com ciúmes, não é possessivo, como se não sentisse nada por mim, ou seja, quando ele esta no controle da situação, eu posso tudo. Mas outro dia saí com minhas amigas e, quando ele soube, ficou fulo da vida. Muito bizarro tudo isso. Pensei em terminar, mas não quero, tô gostando disso tudo. ’

            Perversão? Depravação? Obsessão? Fantasia? Tesão? Sei lá.

            Vida que segue.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>