Não dá mais.
setembro 25, 2013
Tudo bem.
setembro 30, 2013

Nova tentativa.

thea

Oito meses se passaram e ela reapareceu, uma nova tentativa se apresenta e, desta vez, tenho que aproveitar, pois sinto que entre nós existe liga, energia e atração. Quem sabe agora vai. Existe amor também.

            No início deste ano, fiquei esperando ela voltar para o Brasil, grandes promessas, grandes encontros, desejos reprimidos pela distância. Tudo parecia crer que, quando da chegada dela, a vida iria sorrir pra nós dois, mas já aprendi que tudo em que se coloca muita expectativa acaba não funcionando.

            E, quando finalmente ela chegou, e se deu nosso encontro, foi um grande anticlímax. Não por ela, mas da minha parte que, hoje, passados oito meses, consigo enxergar que errei e fiz uma escolha, na época, pra lá de infeliz. Pagamos pelos nossos erros assim como somos responsáveis por nossas escolhas. Inseguro, acabei me afastando dela com receio de dar errado.

            Com o tempo, vamos criando uma couraça que nos protege e esta couraça fica cada vez mais dura e resistente, ficamos com um pé na frente e outro atrás. Tive medo de me machucar e, como ainda estava com feridas abertas, de um antigo relacionamento, não mergulhei como devia nesse novo romance que se apresentava.

Confesso que errei, tomei outro caminho, e não pude viver este amor que se iniciava e, ainda por cima, quebrei a cara com a escolha que fiz, insistindo em erros do passado, mas isso já é outra história.

            Nova tentativa, novos rumos, novos horizontes e sem expectativas. O trem voltou a andar nos trilhos e, desta vez, só com fumaça branca, de paz, amor e tranquilidade.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>