Pistantrofobia (A mais acessada )
setembro 29, 2020
O ente digital.
novembro 26, 2020

Incomível.

Era assim que ela se sentia. Acreditava que era uma questão de auto estima . Muita gente passa a se desacreditar sem motivo aparente. Acorda se olha no espelho e não gosta do seu rosto ou do que vê, isto acontece algumas vezes, mas quando acontece diariamente o sinal de alerta se acende. A pessoa entra num processo de cristalização de imagem e de diminuição interna, e entende que está feia, ou gorda, ou dispensável, ou sem função.

Quando a conheci se declarou ‘incomível’, mas não era nada disso, não só eu reparei como todos no entorno repararam. Vi inteligência, brilho e comunicação farta; uma pessoa adorável e querida.

Eu tentei reverter o jogo dela com elogios e dinâmica sensual. Mas creio que quando alguém coloca alguma coisa na cabeça, não adianta falar muito. O outro pode falar comentar o oposto, mas não resolve.

Num breve espaço de tempo falou três vezes que era ‘incomível’ . Na quarta interrompi e argumentei: Você só pode estar em negação ou fazendo uma brincadeirinha de inversões, e não falei mais nada. A noite foi rolando e provou que ela não era ‘incomível’ .

Tai, a palavra ‘incomível’ existe e se encontra em dicionário e estará sempre no inconsciente de alguém. Quem sabe talvez, num tempo distante, quando ela se tornar ‘incomível’ passe a usar a palavra corretamente?

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>