Promessa vazia.
fevereiro 19, 2016
Presa ao passado.
março 4, 2016

Finalmente virei mulher.

mascara

Tantos conheci, tantos namorei que perdi a conta. Com alguns casei e até tive uma filha; pude experimentar a maternidade, melhores anos. Mas nada ficou nem me transformou. O tempo passou e ainda me sentia uma menina: falava como uma menina, pensava como uma menina e, consciente e inconscientemente, eu era uma menina.

 

Não havia experimentado, ao longo de tantos anos, nada que me fizesse sentir ser uma mulher em termos de plenitude. Sabia e percebia que faltava algo, mas não sabia o que era. Eu não me apaixonava, eu não sentia nada, eles sim, ficavam perdidamente encantados e apaixonados e eu, como uma rainha ou princesa, recebia as reverências, os mimos, os presentes e as viagens. Tudo com bastante naturalidade, aquilo já se tornara automático e repetitivo. Eu pensava muito, escolhia alguns, mas imaginava que não podia ser só isso, era muito pouco e vazio. Ainda não havia aparecido um homem de verdade na minha vida e já me conformara que assim seria até o final dos meus dias.

 

Mas acho que os deuses, os astros e o Universo conjuraram para que eu finalmente, e antes tarde do que nunca, ‘virasse’ mulher, como tem que ser. Eu já estava em vias de me aposentar, levando uma vida familiar sem maiores atrativos com minha filha. Tenho meus cremes e meus ‘toys’ que de vez em quando me davam um help, mas nada como um homem. E esse ‘Homem’ surgiu! Conheci do nada e ficamos conversando bastante antes do primeiro encontro real. Acho que conversamos até demais e as expectativas convergiam para um grande final, aliás, um grande início.

 

Nosso dia chegou e nosso encontro foi arrebatador. Virei mulher, entendi o que é o amor, a paixão, o carinho, o sexo bem-feito. Era o que faltava na minha vida e que eu achava que não existia, pois nunca experimentara. Sadio, saudável e com tantas alegrias e explosões que até estranho – ouço as músicas que sempre ouvi e parece que o significado das letras é outro. Minha aposentadoria foi pro espaço. Ele me instiga e estimula com situações inimagináveis que minha cabeça e mente nem podiam imaginar que pudessem acontecer.

 

Sou uma mulher completa e toda noite ele está comigo, e quando pode, o dia inteiro também. Parceiro, amigo, vigoroso. Entrei num redemoinho de emoções e prazeres. Nunca conversei tanto, nunca fui tão ouvida, nunca pensei e nem entendi que pudesse existir um homem tão inteligente, perceptível e sensível. Como tudo isso me escapou ao longo de minha vida?

 

Finalmente virei mulher!

 

 

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

//]]>